São João: o nordeste incandescente

IMG_0810

Parque do Povo, Campina Grande foto Marcelo Carnevale

As bocas devoram carne de bode, picados, espetinhos de toucinho com farinha que deixam tudo brilhante ao redor do lábios, como parte do encontro natural dos dedos com a língua.

A pele firme, curtida, olhos em brasa. Um povo talhado na seca e que leva um remanso na fala e nos recônditos do peito. Amor no primeiro xote, sem trava e sem perdão, é ajoelhar, rezar para Cícero e se jogar no sertão dessa caatinga.

Esse Brasil do sol a pino, do bronze na mata branca, devolve o poder de fogo dos casais de todos os tipos, numa cadência na qual o prazer é igual no conduzir e no ser conduzido.

Vizinhança de Campina Grande, do Parque do Povo, do forró de pé de serra.

Salve Gonzagão, viva Dominguinhos, viva São João!

IMG_0828

Palhoça de Zé Bezerra, Campina Grande foto Marcelo Carnevale

IMG_0832

Bar do Tenebra de São João, Campina Grande foto Marcelo Carnevale

 

IMG_0833

Bar do Tenebra de São João, Campina Grande foto Marcelo Carnevale