A condessa canibal

 

14429053593_599249c417_k

Maria Alice Vergueiro foto Fábio Furtado

Sempre achei que São Paulo fosse homem. Pelo clichê da força que ergue e destrói coisas belas, pela potência bandeirante forjada na disciplina da indústria, pela exuberância infantil que o money exibe nas ruas.

São Paulo fria, serpente concretada. Mas conhecer a cidade é partir para decifrá-la.

Ao assistir “As três velhas” do chileno Alejandro Jodorowsky, o teatro de Maria Alice Vergueiro se impôs no desenho preciso do grotesco.

Reconheço uma condição: São Paulo sem musgos, sem lágrimas, num big close, é um rosto de mulher. Maria Alice exige, urge, está presente.

Conquistei uma intimidade silenciosa com o grotesco pelo humor-serpente da risada trágica da atriz.

Vi essa montagem quatro, cinco vezes, ao longo dos últimos anos, em diferentes teatros paulistanos. Nessa última vez, no término de uma microtemporada na SP Escola de Teatro, na Praça Roosevelt.

O Parkinson avança, goteja como tempo perverso, exige de Maria a fúria de uma agulha de tricô transformada em punhal. Impõe silêncios estratégicos e perplexidade.

Ela não entrega os segredos de seus domínios cênicos

Ficamos hipnotizados diante da força motriz que se revela: São Paulo é mulher. Ficamos suspensos na dança da cadeira de rodas elétrica que ela conduz – nós e os atores machos que são costelas de Alice, claudicantes, bufões, diante da implacabilidade do destino.

Sim, cabe a ela sustentar o tesão. Ela não promete, ela age.

Suas lindas tetas são devoradas em cena e desejadas por todas as bocas presentes. Tetas teatrais. De uma sensualidade extrema, na qual a dona do falo, da fala sem mágica, oferece a chance de todos se alimentarem.

Ninguém se atreve a palmas protocolares, podem denunciar um suicídio involuntário, uma renúncia ao que as máscaras, a maquiagem, o talco e a verve desenvolveram como nutriente delirante.

Ninguém sai incólume, nem sem comer, de São Paulo.

 

14222377607_ba15598b58_z

Luciano Chirolli e Danilo Grangheia foto Fábio Furtado

 

14344278956_e9383f6530_z

Grupo Pândega de Teatro foto Fábio Furtado

14222390147_9960f1ecaa_z

Maria Alice Vergueiro foto Fábio Furtado

 

 

 

 

5 ideias sobre “A condessa canibal

  1. pena que não tive oportunidade de ver essas tetas teatrais: um arrebatamento cênico de promover um apetite grotesco. Sem palmas, apenas uma reverência silenciosa.

  2. Quando e onde apresentaram “As três velhas” novamente?há alguma previsão? quero muiiiito assistir !!!

Deixe uma resposta